Como Conseguir uma Lesão Enquanto Corre

Lesao-CorridaA corrida, seja ela na rua ou na academia, é uma modalidade esportiva que a cada dia tem conquistado mais adeptos. E o motivo não é difícil de entender, já que os benefícios que ela proporciona são inúmeros. Redução da obesidade, hipertensão, diabetes, do estresse, aumento da disposição, capacidade antioxidante, custo extremamente baixo e claro, te ajuda a conquistar a sonhada boa forma. Esses são só alguns dos motivos que mostram que você escolheu bem a maneira de se “mexer”. Mas como tudo não é perfeito você precisa ficar atento às possíveis lesões que a corrida pode causar.

A incidência de lesões, principalmente nos pés, tornozelos, joelhos e quadril é alta, variando de 19,4% a 79,3%. Os fatores que geram uma lesão se sobrepõem, e por isso, muitas vezes quando um praticante de corrida se lesiona, encontramos mais de um fator causador. Existem fatores chamados de intrínsecos que são próprios de cada pessoa, e incluem a flexibilidade do indivíduo; as lesões que ele já teve; o peso; altura; condicionamento cardiovascular e alterações anatômicas, como por exemplo, joelhos valgos.

Os fatores ditos extrínsecos envolvem a intensidade, duração, frequência do treinamento; o descanso; o tipo de superfície, se areia, asfalto, grama; o tipo percurso, se irregular, tortuoso, declive; a alimentação e o tipo de calçado.

Aqui apresentamos algumas das lesões mais comuns que acometem os praticantes da corrida. Não se assuste com os nomes e fique tranquilo, ao final você irá perceber como evitá-las.

Fratura por estresse do calcâneo

O calcâneo é o maior osso do pé e é ele que forma o calcanhar. A fratura desse osso ocorre, normalmente, em praticantes com sobrepeso, que não utilizam um tênis apropriado para a modalidade, com o devido amortecimento e também naqueles que não têm uma boa biomecânica da corrida, pisando primeiro com o calcanhar no solo e gerando todo o impacto nesse osso. Calcaneo-correrNesse caso o atleta é obrigado a suspender os treinos até que haja recuperação da lesão, que é feita com fisioterapia. Interessante você saber que a fratura por estresse é muito comum também nos ossos tíbia e fêmur.

Esporão calcâneo

Quem nunca ouviu falar no esporão? O que muitas pessoas não sabem é que ele pode surgir por causa da corrida. Ele é uma protuberância óssea que se desenvolve atrás do calcanhar e aparece em pessoas que tem o arco do pé elevado. Quando a curvatura do pé é exagerada facilita com que o osso calcâneo fique espremido na parede do tênis, gerando inflamação, dor, desalinhamento e alargamento dele. A bolsa de fluidos formada, chamada bursa, tenta proteger as estruturas, mas acaba aumentando ainda mais a dor. Para prevenir fica claro que o seu tênis não pode ser rígido, principalmente na parte do calcanhar.

Tendinopatia

Os tendões são as estruturas em nosso corpo que unem os ossos aos músculos e permitem seus movimentos. Na corrida, os tendões dos pés e tornozelos são os mais susceptíveis a essa lesão, que gera muita dor, devido à inflamação, e pode até causar deformações quando o quadro for mais crônico. A tendinite do tendão de Aquiles é a mais temida pelos corredores. As causas mais comuns dessa lesão são o uso excessivo do tendão, sem oferecer o tempo adequado de descanso e recuperação para essa estrutura do corpo; tipos anatômicos anormais de pés (como o pé plano valgo, o hiperpronado), encurtamentos, pisadas erradas, que são alterações que causam desequilíbrio na musculatura e que podem ser corrigidas com o auxílio de um tênis apropriado para cada caso.

Entorse de tornozelo

Essa lesão é muito comum nos praticantes da corrida e ocorre quando os ligamentos (estruturas que unem duas extremidades ósseas permitindo sua articulação) são forçados além da sua capacidade elástica, gerando uma entorse e até rotura das suas fibras. Para evitar que isso ocorra enquanto estiver correndo é preciso que você fique atento à superfície escolhida para a prática, que não deve ser muito irregular; ao calçado, que deve ser trocado sempre que a sola estiver desgastada e ao descanso oferecido ao corpo.

Fascite Plantar

Temos aqui mais um exemplo de lesão comum e, na verdade, uma das mais encontradas segundo especialistas, representando cerca de 20% das lesões em corredores. Nela ocorre degeneração da fáscia plantar, que é o tecido que liga os dedos ao calcanhar, responsável por revestir a parte inferior dos pés e proteger as estruturas que ali estão. Quando a inflamação degenera a fáscia, a pessoa passa a sentir dor em queimação no momento em que o peso é descarregado no pé e, por isso, a obesidade é um fator de risco. Pessoas obesas não devem começar a correr sem antes se adaptar à caminhada. A dor é comum de surgir no início da atividade, apresentar melhora durante e retornar após o descanso. Outros fatores de risco são as alterações na forma do pé, intensidade e volume de treino desproporcional à condição física do corredor e terrenos irregulares.

Periostite Tibial

Tibia-CorrerO nome popular dessa lesão é canelite e, nesse caso, a tíbia e o tecido que envolve esse osso, juntamente com os músculos e tendões da região, sofrem uma inflamação. O excesso de vibração a que estão mais propensos corredores que utilizam calçados duros e solos irregulares é a principal causa dessa inflamação. A pisada pronada e correr com o corpo inclinado para frente são outros fatores que contribuem. Interessante dizer que na menopausa a lesão é mais comum. Aqui também o atleta não escapa da dor, que é intensa, na região da canela e tem início durante o exercício, mas pode prolongar-se após o término. Músculos fortalecidos protegem os ossos, tendões e articulações; por isso a musculação é importante na prevenção dessa lesão, além do uso de sapatos macios e estáveis e o respeito aos seus limites.

Síndrome da banda íliotibial

A banda íliotibial é uma faixa fibrosa que fica na lateral da coxa. Nessa lesão também temos a inflamação de estruturas e, nesse caso, a causa é o atrito da banda íliotibial com a lateral do fêmur. Temos um quadro de dor e edema, que geralmente é sentido na lateral do joelho. Joelhos e tornozelos desalinhados, volume exagerado de treinos, hiperpronação, pés planos, tênis gastos e encurtamento muscular são algumas das causas dessa síndrome.

Lesão no Menisco

Sintomas como dor nos joelhos, limitação para colocar os pés no chão, fraqueza nas pernas, dificuldade para realizar flexão ou extensão podem ser por causa de uma lesão no menisco. Os meniscos ficam dentro da articulação do joelho, entre a tíbia e o fêmur, e tem a função de proteção dessa articulação, absorvendo o impacto dos membros com o chão. Lesao-JoelhoQuando pressionamos o calcanhar no solo, geramos uma força que é transmitida através da tíbia para o fêmur diretamente. Os meniscos, que estão ali no meio para amortecer esse impacto, acabam sendo sobrecarregados se um tênis com sistema de amortecimento desgastado for usado.

Condromalácia Patelar

Essa lesão é popularmente conhecida como “joelho de corredor” e acontece por uma corrosão, devido ao atrito da patela (osso situado na frente do joelho e que protege essa articulação) e sua cartilagem inferior. O quadro é de dor que fica mais forte ao descer escadas ou terrenos declinados. A má postura, pisos sempre duros, excesso de peso e pronação excessiva do joelho podem levar à condromalácia, que acomete tanto corredores iniciantes quanto atletas. Para evitá-la devemos buscar o fortalecimento muscular e ósseo e usar palmilhas e tênis estáveis.

Conclusão

Depois de aprender sobre todas essas lesões a que você, corredor, está sujeito, a boa notícia é que estudos afirmam que está em suas mãos prevenir a maioria delas. A escolha da intensidade, frequência, superfície e outros detalhes que envolvam seu treino, deve ser sempre baseada nas suas limitações, condição física atual e seus objetivos. Exercícios de fortalecimento auxiliam muito nessa prevenção e as anormalidades na pisada influenciam bastante no surgimento de lesões.

Como o nosso site é sobre tênis para corrida, vamos finalizar falando sobre eles, que aparecem como um fator em comum em todas as lesões apresentadas aqui. É fácil perceber que a escolha correta do seu calçado pode te proteger de várias lesões. Um bom exemplo são os tênis desenvolvidos especialmente para indivíduos com pisada supinada, regular ou pronada. Além disso, se fossemos escolher uma recomendação unânime entre os estudiosos, ela seria quanto à troca do seu calçado. Usar o seu tênis mais tempo que a vida útil dele aumenta de maneira expressiva o risco de lesionar. O tempo em que o atleta escolhia o tênis pela cor bonita ficou no passado e agora aspectos muito mais importantes devem ser valorizados. A intenção é que você se preocupe com a qualidade e opte pelo tênis mais adaptado e indicado para você, independente da marca que escolha.

Referência: